(PT)

ESPETÁCULOS

 


InSomnio é um espetáculo multidisciplinar – teatro físico, acrobacia aérea, vídeo e música original – com uma estrutura cénica alusiva a uma cama gigante, dotada de mecanismos, e diferentes planos de ação, que lhe causarão mutações ao longo da performance.

Em InSomnio, através de uma linguagem poética e sensitiva, debruçamo-nos sobre o sono e o sonho, ancorando-nos, entre outros, em estudos da neurociência e da filosofia. Um cruzamento entre o que a ciência consegue revelar, com um lugar metafísico, suprassensível, que nos aproxime da natureza primordial do ser. Emerge, da experiência artística, uma espécie de saudade de um lugar essencial de onde vimos e onde queremos regressar. Paisagens de silêncio e plenitude. Uma busca de reconhecimento e equilíbrio entre o corpo e o espírito, o peso e a leveza, a escuridão e a luz, o esquecimento e a memória. Em meio, a exposição da imensa beleza da fragilidade humana e a efemeridade da existência. Um lugar identitário, que reconhecemos, em cada respiração.

Conceito e Direção Julieta Aurora Santos  Interpretação Carlos Campos, Luís João Mosteias, Sara Montalvão, Sérgio Vieira Assistência Movimento Yola Pinto Banda Sonora Tiago Inuit Vídeo Carlotta Premazzi Desenho de Luz Ivo Vieira Cenografia Conceito Julieta Aurora Santos, Design e Coordenação João Calixto Construção Luís Santos + Teatro do Mar Adereços Adriana Freitas Operação Técnica Adriana Freitas, Luís Santos Direção Financeira e Gestão Sónia Custódio Direção Produção Frederico Salvador Assistência de Produção Roberta Marques


ESTREIA EM FEVEREIRO 2020

Asas d’Areia é um espetáculo/instalação que funde o vídeo documental e o conceptual com o circo, nomeadamente a arte do equilíbrio (arame e corda bamba) e a dança.
Debruça-se sobre a temática dos povos migratórios, contextualizando-se, de forma mais particular e numa perspetiva humanitária, nos que estão retidos em campos de refugiados. O foco do trabalho, que foge da mera ilustração do tema, ou de uma abordagem de análise política sobre o mesmo, visa essencialmente uma investigação sobre a natureza, comportamento e relações humanas, quando subordinados a condições extremas, num lugar inóspito, vazio de esperança e/ou expetativas de futuro.

Este espetáculo é uma co-produção Teatro do Mar/ MAPS – Mostra de Artes de Performativas de Setúbal/ Município de Setúbal.

Conceito e Direção Julieta Aurora Santos Interpretação Douglas Melo, Kátia Rocha Banda Sonora Tiago Inuit Cenografia Roberta Cangussu Figurinos e Adereços Adriana Freitas Video-documental Isabel Teixeira Instalação Video Diogo Vilhena Video Mapping Carlotta Premazzi Operação Técnica Luís João Mosteias, Luís Santos Consultoria/Investigação Tiago Cardoso Direção Financeira e Gestão Sónia Custódio Direção de Produção Frederico Salvador Produção Roberta Marques



Testemunhámos de perto as rotinas de idosos institucionalizados.

Construímos, com o artista polaco Lukasz Trzcinski, marionetas que são réplicas do rosto dos intérpretes, mas envelhecidos. O conflito explorado na criação, começa na própria projeção do ator num corpo com cerca de 80 anos.

Vivemos numa tensão entre a permanência e a transitoriedade na vida e uma total impotência face à nossa condição de finitude.

Esta criação reflete sobre a nossa relação com a dimensão temporal, colocando em conflito o frenesim do homem contemporâneo e a imediatez de tudo, com o tempo do idoso e a sua necessidade de hábitos que, incorporados à vida, se tornam poesia do quotidiano, parecendo estabelecer uma relação continuada e duradoura com o mundo.

Criação e Direção Julieta Aurora Santos Interpretação Luís João Mosteias, Sérgio Santos Banda Sonora Tiago Inuit Vídeo Carlotta Premazzi Marionetas Lukasz Trzcinski Cenografia Luís Santos, Carlos Campos Figurinos Sandra Santos, Adriana Freitas Direção Financeira e Gestão Sónia Custódio  Direção de Produção Frederico Salvador Produção Executiva Miguel Marques Silva